Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

duasmulheresemeia

Intrigas, mentiras e mal dizeres

7b886e171d1b3a66c0e7df2a25cfe58a.jpg

Vivemos numa sociedade de intrigas, onde o “diz que disse” tem mais valor que a palavra de uma pessoa, onde as mentiras ultrapassam quaisquer verdades, onde falar deste e daquele tem mais interesse do que a nossa vida, o que realmente nos interessa.

Vivemos numa sociedade em que nada nem ninguém é mais importante do que o nós próprios, em que a única preocupação é viver sempre mais e muito melhor, não importando o que terá de ser feito nem “por cima” de quem terá de se passar.

Vivemos numa sociedade em que mentiras são ditas como verdades, em que a verdade não tem o mesmo valor que tinha ainda há anos atrás.

Parece não ser importante dizer a verdade ou aquilo que se pensa (sem magoar ou ofender alguém), parece cada vez mais invisível a transparência das pessoas.

Vivemos numa sociedade de fachadas, onde temos de dizer o que é esperado ouvir. Dizemos o que o outro quer ouvir e ocultamos o que é preciso ser dito. Ocultamos as verdades sobre os outros, e eles ocultam as verdades sobre nós, aquilo que os outros precisavam ouvir e aquilo que nós merecíamos saber.

Vivemos numa sociedade onde aparências valem mais que valores próprios. Vivemos numa sociedade de interesses. Vivemos numa sociedade de falsidade. E pior que isso... Construída por nós.

Continuamos a desculpar-nos com "Foi uma mentira piedosa!" ou "A verdade ia magoá-la(o)" e esquecemo-nos de nos colocar no lugar do outro. Esquecemos de fazer aos outros o que gostavamos que fizessem connosco. Esquecemo-nos que uma pequena mentira, um pequeno engano, um pequeno erro, uma pequena intriga pode tomar proporções enormes, pode tornar-se insustentável e o que parecia inofensivo pode causar uma enorme estrago. Esquecemo-nos que por mais difícil que seja a verdade, por mais mágoa que cause dizer o que se pensa, esta é sempre a melhor solução, porque a verdade pode magoar mas a mentira crescerá e magoará muito mais.

Eu gosto de dizer o que penso. Eu gosto de dizer a verdade. Já aprendi que a verdade pode magoar as pessoas, aprendi que existem pessoas que não sabem ouvir a verdade, que existem pessoas falsas imunes à verdade. Já percebi que cada vez mais a sociedade é falsa. Mas também aprendi que me sinto muito melhor ao dizer a verdade, que me sinto muito melhor ao não enganar as pessoas, ao ser verdadeira. Também aprendi que prefiro que me digam a verdade mesmo que me doa, aprendi que prefiro que me magoem com verdades do que me alegrem com mentiras.

Numa sociedade falsa, quem é verdadeiro é leal/real. 

 

Cudgi & Nono <3

Mãe, Pai, Cresci!

Crescer.jpg

 Longe vai os tempos em que era apenas um pequeno embrião no ventre da minha mae, acariciada pela grande mão do meu pai.

Longe vai os tempos em que era uma recém-nascida, amamentada pela mãe, chorando por ter fome, por ter dores, porque sim e porque não (e não era capaz de dizer o porquê de tanto choro).

Longe vai os tempos em que mal chegava aos pedais da bicicleta e o mais longe que podia estar de alguém era do quarto para a cozinha.

Longe vai o tempo em que a face era coberta de acne e a vinda do período menstrual pela primeira vez foi um horror, um susto de morte.

Longe vai o tempo em que a troca de escola, a separação dos amigos de infância e a escola de um curso para secundário era a maior preocupação de todos os tempos e o terror de todos os terrores.

Longe vai o tempo em que a escolha de uma profissão, a entrada para uma universidade e a separação (mesmo que provisória) dos pais parecia o pior medo e a pior escolha a ser feita.

Longe vai o tempo em que a vontade de fazer tudo bem à primeira, ser a melhor em tudo e fazer apenas o que gostava era uma realidade.

Longe vai o tempo em que era criança, adolescente, jovem-adulta. Longe vai o tempo em que era uma preocupação para os meus pais, ou assim deveria ser. Já não sou uma criança, já não preciso de ajuda constantemente ou que resolvam os meus problemas, não preciso que me digam o que devo fazer ou o que deveria fazer porque é o melhor para mim.

Mas, continuo no tempo em que os meus pais acham que ainda sou um “bebé”.

Continuo no tempo em que a minha mãe me faz mil e duzentas recomendações antes de sair de casa, ou me liga de 10 em 10 minutos se demoro muito a chegar a casa.

Continuo no tempo em que o meu pai acha que ainda não sou capaz de fazer uma grande viagem, pois passarei muitas horas a conduzir ou não conheço mais ninguém.

Acho que ficaram no tempo em que querem e continuam a tomar conta de mim, não querem que cresça, não querem que me “desapegue” deles, porque serei sempre, uma eterna criança.

Mas já não sou uma criança, cresci e continuo a crescer, todos os dias um pouco mais, todos os dias um pouco mais culta e adulta. Cresci desde o tempo em que precisava de proteção e aconchego e continuarei a crescer, mas os meus são os únicos que parecem não entender.

Mas admitindo, a realidade é que, apesar de não parecerem ver-me a ficar cada vez mais velha, cada vez mais crescida, eu adoro continuar a ser a sua criança, a ser a menina que precisa de apoio e proteção, adoro continuar a sua pequena filha!

Eu cresci mas continuarei a precisar deles junto de mim!

 

Cudgi <3

 

 

Quero mudar o mundo!

 

cropped-eu-posso-mudar-o-mundo11.jpg

 

Tenho em mim todos os sonhos de mudança e toda a esperança de que poderei fazer deste mundo um lugar melhor.

Tenho a confiança de poder mudar o mundo, de poder fazer dele um lugar bonito e bom de se estar e viver.

Tenho em mim a esperança de deixar um mundo melhor do que encontrei, um mundo melhor para os outros do que foi para mim.

Eu quero mudar o mundo, espero mudar o mundo, estou a fazer e continuarei a fazer de tudo para mudar o mundo.

Eu sei, tenho consciência e certeza de que não consigo mudar tudo o que aqui existe, tudo o que aqui se faz, eu sei que não tenho superpoderes para mudar tudo, mas sei que se mudar apenas uma pequena parte, se mudar apenas uma pessoa, se mudar apenas uma atitude, já mudei o mundo. Já mudei o mundo de alguém, já mudei a forma de como alguém encara o mundo.

Porque não podemos pensar e querer todos mudar o mundo?

Todos conseguimos fazê-lo, todos conseguimos mudar nem que seja um pouquinho do mundo em que vivemos, todos conseguimos mudar nem que seja uma pequena atitude. Basta um pequeno esforço, basta um mínimo detalhe para que algo mude, e dentro de cada um o mundo somos nós.

Uma pequena pessoa, com uma pequena atitude pode fazer uma grande diferença. É nisso que acredito, e esse é um dos meus lemas de vida. Pequenas atitudes podem gerar grandes diferenças.

mudar-mundo4.jpg

 Nono & Cudgi <3

 

Realidade vs Mito?#1

Comer manga com leite faz mal!

 

Ora pensemos… nós encontramos manga misturada com leite em batidos, molhos e doces. Portanto assim à partida porque achamos que faz mal!?!

 

leite e manga.png

Essa ideia começou na época do Brasil Colonial onde o leite era um alimento raro e por isso caro, que só estava disponível para os grandes senhores e patrões. Para que essa preciosidade de alimento não fosse consumida pelos trabalhadores, implementaram esta ideia. Assim os trabalhadores só consumiam os frutos da mangueira que eram abundantes nas propriedades rurais.

Assim, e esclarecida esta ideia, concluímos que manga e leite e bastante saudável. Senao hora vejamos, a manga é rica em nutrientes (como o caroteno, pró-vitamina A), é uma fonte rica em vitamina C, fósforo, ferro, cálcio, lipídios e proteínas. O leite, por sua vez, é rico em proteínas, cálcio, vitaminas A e D, fósforo e magnésio.

Portanto, vamos esperar que o solinho venha e desfrutar de um delicioso batido de manga, sem preocupações!

 

batido manga.jpg

 

                                                                              Nono <3