Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

duasmulheresemeia

Just words

 

 

As janelas do meu quarto já só se abrem para a escuridão.

A porta da minha casa dá diretamente para a rua da solidão.

Os meus olhos já não veem a cores e retratam tudo a preto e branco.

Já não sinto o sabor doce da felicidade, apenas o amargo da tristeza.

O meu sorriso já não ilumina mas distancia a verdadeira luz da alegria

Sinto que o meu corpo continua com uma alma que não é a minha.

Sinto que o coração já se perdeu algures nos caminhos que já percorri.

Sinto que a tristeza já ocupa mais espaço do que o reservado para ela.

Que a felicidade cedeu do seu grande posto para que outros o ocupassem.

Já não me sinto eu…

Já não sinto a alegria que contagiava, já não sinto a energia que não me abandonava.

Será apenas uma fase? Será apenas um momento?

Será mesmo real ou apenas a ilusão de que estarei a tornar-me algo que repudiaria ser?

 

Cudgi ;) 

Abecedário da vida de Carla Amélia Gomes

received_1859977810988970.jpeg

Sei, com certeza, o abecedário escolar, aquele que aprendemos na escola primária, começando no A e terminando no Z, apenas letras. Letras que podem ser iniciais de palavras, letras que usamos para escrever um texto, letras que não escritas também são necessárias para a fala, letras que conduzem a nossa língua.

“No abecedário da vida todas as letras entram no jogo da roleta, mas quando cada ser humano lança os seus dados, dita a sua própria sorte e apenas algumas letras são sorteadas”.

O “Abecedário da vida” mostra-nos que a nossa vida é feita de momentos, sentimentos e muitas palavras contraditórias.

O “Abecedário da vida” dá-nos conta de diversos momentos possíveis de imaginar, prováveis de acontecer e verdadeiramente vividos. Dá-nos a realidade da vida, dá-nos a sensação de muito conhecimento e um mundo tão pouco descoberto, dá-nos a realidade de uma vida e a ficção de muitas outras, dá-nos a sensação de sermos livres e ao mesmo tempo de estarmos presos.

“Efetivamente o abecedário da vida começa com um “A” de amor. Esse amor traz consigo o “A” de amizade, o “C” de compreensão, o “H” de honestidade, o “L” de lealdade, o “P” de paixão e o “U” de união”.

É um livro que nos conta/mostra a realidade de uma ou várias vidas, a realidade que muitos passam mas poucos falam e menos ainda o admitem. É um livro que nos mostra a vida como ela pode ser, com fases muito felizes, com momentos tristes, com histórias engraçadas e outras sem nenhum momento de risos, com boas e más recordações. Histórias que podem retratar a vida de muitas pessoas, histórias de vida reais, vividas por pessoas reais.

Mostra-nos palavras que amamos e queremos ouvir muitas vezes, palavras que odiamos e queremos esquecer, que fazem parte do nosso vocabulário, palavras que fazem sentido agora, que já alguma vez fizeram e que ainda nos farão.

Um livro que nos faz pensar, que nos incomoda por ser tão real, por tanto sentido fazer, que nos elucida e ao mesmo tempo nos faz querer esquecer.

Um livro que nos mostra que ninguém pode ser 100% perfeito, que não existe alguém 100% maravilhoso, que não existe alguém que possa ser tão bom que não tenha um pouco de maldade, nem alguém tão mau que não tenha alguma bondade.

“Mas o “M” de mágoa é destrutivo e só bastante mais tarde eles conseguiram libertar-se das algemas da mágoa e do rancor e abriram a sua alma ao perdão. Só mais tarde iriam experienciar nas suas vidas um acontecimento que os fez repensar emoções e sentimentos. Entediados com a aridez de um interior deserto e egoísta, descobriram que só o amor e o perdão permitem alcançar plenitude na existência”.

Não existe alguém tao feliz que não tenho medos, não existe alguém perfeito, ou com uma vida perfeita. Não existem histórias de encantar mas sim histórias reais, onde cada um se pode reencontrar.

Um livro para deixarmos os preconceitos, para nos mostrar a realidade, para nos fazer descobrir um pouco mais de cada uma. Um livro que nos mostra as letras do alfabeto, que nos faz compreender o abecedário, que nos faz interiorizar o verdadeiro sentido das palavras, das emoções. Um livro que nos leva ao verdadeiro ABECEDÁRIO DA VIDA.

 

 

Cudgi & Nono <3

 

 

<

Cudgi & Nono <3

Promessas

por-um-mundo1.jpg

Uma promessa é como que um contrato assinado entre duas pessoas relativamente a algo. Um contrato, embora ficticio, está muito marcado e vincado na mente de uma pessoa. Mas deveria estar na das duas! 
Atualmente prometemos mundos e fundos. Prometemos coisas que nem planeamos algum dia cumprir, prometemos somente para calar alguém... esquecemo-nos é que esse alguém tem essa esperança, esquecemo-nos é que estamos a enganar essa pessoa. Esquecemo-nos é que também a nós nos fazem isso! 
Promessas e mais promessas! Tretas e mais tretas! Onde estão as atitutes, os feitos. Os pequenos detalhes! 
Eu não quero promessas na minha vida! Porque a única coisa que posso prometer é que vou falhar, porque sou humana, porque nem sempre estou á altura da vida, dos desafios e nem sempre a vida me permite realizar as minhas promessas. Por isso eu não sou de promessas! Eu faço ou não faço. Eu tento! Eu esforço-me! Mas não prometo. 
Não quero falhar com os meus, não quero desiludir como já me desiludiram, não quero palavras bonitas em momentos bonitos... Quero um sorriso no momento certo, um "força, tu és capaz", "não desistas", quero viver momentos com os meus! 
As promessas iludem... As palavras leva-as o vento. E cada vez mais as pessoas prometem sem ouvir o outro. 

Eu "Prometo Falhar" mas estarei cá para assumir as consequências. 
Nao nasci perfeita, nao caminho para lá... Nasci para ser feliz e lutar pela minha felicidade e para isso não quero magoar os outros com promessas falsas. 

Por isso, vivo a vida, sem promessas mas com atitudes! 


Nono <3