Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

duasmulheresemeia

Não gosto de mim

kaatje4.jpg

 

Não gosto da cor dos meus olhos.

Não gosto do formato da minha boca.

Não gosto do tamanho do meu nariz e das minhas orelhas.

Não gosto das marcas do meu rosto.

Não gosto das minhas pernas, nem das minhas mãos.

Não gosto de me ver ao espelho e ver todas as imperfeições que tenho em mim.

Não gosto do sorriso no meu rosto que quer eu esteja triste ou não ele não desaparece.

Não gosto da forma como o meu corpo me denuncia, porque sou péssima a esconder expressões.

Não gosto de mim!

Mas...

Gosto da forma com o meu olhar é legível.

Gosto da educação que recebi, que fez criar a personalidade que tenho.

Gosto da minha forma de reagir às situações, porque não me deixar ser mentirosa ou agir com falsidade.

Gosto do que aprendi e aprendo a cada dia porque me fazem ser sempre melhor.

Gosto de passar tempo com amigos e com a minha família.

Gosto quando me dizem que gostam muito de mim.

Gosto da forma como faço as pessoas rir com muitas piadas sem graça.

 

Na realidade, não gosto de olhar no espelho superficialmente e ver refletido o meu exterior, mas gosto muito de olhar no espelho e ver a completa pessoa que sou.

Não é o meu exterior que me fará ter mais ou menos verdadeiros amigos, não é o meu exterior que me fará ser mais amada pelas pessoas que são importantes para mim, não é o meu exterior que decide a pessoa que realmente sou.

Não se pode mudar o exterior, posso aprender a viver com ele, mas não conseguiria aprender a viver com um interior que não me corresponde, não me acomodaria com um interior que não me fizesse realizar o que quero.

Posso ser esteticamente imperfeita, mas vivo perfeitamente com a minha personalidade e com a pessoa que se forma a cada dia.

Eu não poderia mudar o que não gosto, porque foi através de todas as imperfeições e criticas que me fui formando e criando a pessoa que sou.

Na realidade, não gosto do meu exterior, mas sou muito agradecida pelo meu interior.

 

Na verdade... Eu até gosto de mim!

60602_443728645704527_45652686_n_large.jpg

 

 <

#13 detalhes que me fazem feliz

 

tumblr_mf93qh3S0c1qk62mfo1_500.jpg

#1 Uma mensagem de "Bom dia! "
#2 Conversar sobre tudo e sobre nada com um amigo. 

#3 Ver a chuva cair através do vidro (é tão bom!).

#4 Colocar alguém a sorrir.

#5Ligar o rádio e estar a dar aquela música que não ouvia à anos. 

#6 Conduzir e cantar e dançar com uma amiga. 

#7 Receber uma carta (de alguém querido  e escrita à mão!). 

#8 Dançar à chuva.

#9 Visitar novos locais.

#10 Coincidências. 

#11 Chorar de tanto rir. 

#12 Rever fotos antigas. 

#13 Reparar que é das pequenas coisas que vem a real felicidade. 

Intrigas, mentiras e mal dizeres

7b886e171d1b3a66c0e7df2a25cfe58a.jpg

Vivemos numa sociedade de intrigas, onde o “diz que disse” tem mais valor que a palavra de uma pessoa, onde as mentiras ultrapassam quaisquer verdades, onde falar deste e daquele tem mais interesse do que a nossa vida, o que realmente nos interessa.

Vivemos numa sociedade em que nada nem ninguém é mais importante do que o nós próprios, em que a única preocupação é viver sempre mais e muito melhor, não importando o que terá de ser feito nem “por cima” de quem terá de se passar.

Vivemos numa sociedade em que mentiras são ditas como verdades, em que a verdade não tem o mesmo valor que tinha ainda há anos atrás.

Parece não ser importante dizer a verdade ou aquilo que se pensa (sem magoar ou ofender alguém), parece cada vez mais invisível a transparência das pessoas.

Vivemos numa sociedade de fachadas, onde temos de dizer o que é esperado ouvir. Dizemos o que o outro quer ouvir e ocultamos o que é preciso ser dito. Ocultamos as verdades sobre os outros, e eles ocultam as verdades sobre nós, aquilo que os outros precisavam ouvir e aquilo que nós merecíamos saber.

Vivemos numa sociedade onde aparências valem mais que valores próprios. Vivemos numa sociedade de interesses. Vivemos numa sociedade de falsidade. E pior que isso... Construída por nós.

Continuamos a desculpar-nos com "Foi uma mentira piedosa!" ou "A verdade ia magoá-la(o)" e esquecemo-nos de nos colocar no lugar do outro. Esquecemos de fazer aos outros o que gostavamos que fizessem connosco. Esquecemo-nos que uma pequena mentira, um pequeno engano, um pequeno erro, uma pequena intriga pode tomar proporções enormes, pode tornar-se insustentável e o que parecia inofensivo pode causar uma enorme estrago. Esquecemo-nos que por mais difícil que seja a verdade, por mais mágoa que cause dizer o que se pensa, esta é sempre a melhor solução, porque a verdade pode magoar mas a mentira crescerá e magoará muito mais.

Eu gosto de dizer o que penso. Eu gosto de dizer a verdade. Já aprendi que a verdade pode magoar as pessoas, aprendi que existem pessoas que não sabem ouvir a verdade, que existem pessoas falsas imunes à verdade. Já percebi que cada vez mais a sociedade é falsa. Mas também aprendi que me sinto muito melhor ao dizer a verdade, que me sinto muito melhor ao não enganar as pessoas, ao ser verdadeira. Também aprendi que prefiro que me digam a verdade mesmo que me doa, aprendi que prefiro que me magoem com verdades do que me alegrem com mentiras.

Numa sociedade falsa, quem é verdadeiro é leal/real. 

 

Cudgi & Nono <3

Sozinho ou acompanhado

bf063a56459769838d72ebac28469548.jpg

Sozinho ou acompanhado brilhe...

Quando acompanhados a vida parece ter mais cor, mais ânimo, mais alegria, mas sozinhos a vida continua a existir, continua a existir alegria, continua a existir arco-íris, continua a existir luz.

Parece existir uma necessidade, quase de sobrevivência, das pessoas necessitarem de alguém para se sentirem bem, para conseguirem realizar todos os seus objetivos e sonhos, mas a realização de sonhos e objetivos também é possível sozinho.

Sozinho ou acompanhado, o caminho faz-se caminhando, em frente, com muitas curvas, alguns acidentes, possíveis inversões de marcha, mas com o objetivo de seguir em frente, chegar o mais longe possível.

Fazer o maior número de coisas possíveis, coisas que agradem a si mesmo, coisas que satisfaçam, que construam o melhor ser humano, coisas que deixem o seu interior mais completo, mais feliz.

Sozinho ou acompanhado, é necessário fazer o melhor, o melhor que se sabe, o melhor que se consegue, o melhor que se pode, o melhor de cada um.

O melhor não é sempre o mais perfeito, não é sempre o que deveria ser feito em determinado momento ou situação, o melhor é dar o máximo, é a sensação de que se fez tudo o que cada um poderia fazer.

Sozinho ou acompanhado, o importante é, não deixar de sonhar, não deixar de lutar, não deixar de querer e fazer, de tudo, muito, para o conseguir.

Sonhar é o que faz cada um crescer, é o que faz cada um querer sempre mais, é o que faz cada um lutar para alcançar os sonhos, é o que torna cada um melhor, a cada dia de passa.

Sozinho ou acompanhado, o objetivo de vida, deve ser, a felicidade! Aprender, ensinar, fazer acontecer, fazer por merecer o melhor! Brilhar mesmo na escuridão, deixar a “sua marca” no mundo!

 

Sozinho ou acompanhado, o lema, é viver! Ao máximo!

 

Cudgi <3

 

Desafiamos-te #Semana 6

como_ser_fehjgbliz.jpg

O desafio desta semana é: Ver a lua e estrelas

Sentar ou deitar no jardim, sobre a relva ou apenas numa cadeira ou até no chão, a comtemplar a bela noite, com uma lua maior ou mais pena, com muitas ou poucas estrelas, apenas contemplar o céu, à noite e pensar em muita coisa ou em coisa nenhuma, apenas o prazer de apreciar algo bonito.

 

 

O desafio da semana passada era ver o mar, nós fomos até à praia, porque a semana teve dias bastante agradáveis, não deu para dar um mergulho, mas melhores dias para isso virão.

Olhar o mar, faz-nos pensar no quão pequenos parecemos perto dele e no quão imponente este é, faz-nos relaxar e ver o quão lindo ele é.

E vocês? Viram o mar? E o novo desafio, sertá aceite? Contem-nos!

 

Cudgi & Nono <3

 

 

Promessas

por-um-mundo1.jpg

Uma promessa é como que um contrato assinado entre duas pessoas relativamente a algo. Um contrato, embora ficticio, está muito marcado e vincado na mente de uma pessoa. Mas deveria estar na das duas! 
Atualmente prometemos mundos e fundos. Prometemos coisas que nem planeamos algum dia cumprir, prometemos somente para calar alguém... esquecemo-nos é que esse alguém tem essa esperança, esquecemo-nos é que estamos a enganar essa pessoa. Esquecemo-nos é que também a nós nos fazem isso! 
Promessas e mais promessas! Tretas e mais tretas! Onde estão as atitutes, os feitos. Os pequenos detalhes! 
Eu não quero promessas na minha vida! Porque a única coisa que posso prometer é que vou falhar, porque sou humana, porque nem sempre estou á altura da vida, dos desafios e nem sempre a vida me permite realizar as minhas promessas. Por isso eu não sou de promessas! Eu faço ou não faço. Eu tento! Eu esforço-me! Mas não prometo. 
Não quero falhar com os meus, não quero desiludir como já me desiludiram, não quero palavras bonitas em momentos bonitos... Quero um sorriso no momento certo, um "força, tu és capaz", "não desistas", quero viver momentos com os meus! 
As promessas iludem... As palavras leva-as o vento. E cada vez mais as pessoas prometem sem ouvir o outro. 

Eu "Prometo Falhar" mas estarei cá para assumir as consequências. 
Nao nasci perfeita, nao caminho para lá... Nasci para ser feliz e lutar pela minha felicidade e para isso não quero magoar os outros com promessas falsas. 

Por isso, vivo a vida, sem promessas mas com atitudes! 


Nono <3

 

Tipos de Convidados num Casamento

Está aberta oficialmente a época dos casamentos!!! E por isso hoje apresento-vos os vários tipos de convidados que se encontram nos casamentos.

 

  • A modelo - é aquela amiga da noiva que é super gata e está solteira. Consegue chamar a atenção de todo o homem solteiro. Uma verdadeira modelo dentro de um casamento. Faz da entrada na igreja a passerelle e, se duvidar, ainda tira mais fotografias que os noivos. Com sorte ainda dá uns autógrafos

16615971_Aguni.jpg

  • O gato solteiro - Aquele amigo do noivo que está totalmente descomprometido e que apresenta um corpinho bem trabalhado, um smoking que lhe acenta que nem uma luva, um olhar sedutor e um sorriso de fazer qualquer mulher suspirar. Normalmente, atraí a atenção de todas as amigas da noiva. O "jeitoso" que faz suspirar as meninas solteiras e as casadas, que também não são cegas, mas os maridos não precisam saber com um rabo de fazer "colar os olhinhos" e um sorriso que parece saído do comercial da colgate. Com certeza no que toca a mulheres, a festa não é para os noivos.

 

  • O fotógrafo - Aquele convidado que acha que os noivos não contraram um fotógrafo para aquele dia e acha que com o seu telemóvel pode registar todos os momentos. Aquele que tem tudo registado em fotografia e que certamente ainda vai conseguir rir com algumas imagens captadas das "pobres" e "tristes" figuras que alguns convidados foram capazes de fazer.

 

  • Os criticos - Esses criticam a quinta/restaurante, a decoração, a ementa, a comida, o servente, a música, definitivamente tudo está mal. Capazes de criticar até a escolha dos noivos de quem convidar, esquecendo-se que são um deles.

 

 

  • As policias da moda - Aqui todas nós, mulheres, somos um pouco. Comentamos, inevitavelmente, o vestido da noiva, depois das damas de honor, das amigas, das mães e sogras, e depois passamos para os restantes convidados. Basicamente, comentamos toda a gente. Capazes até de comentar a escolha do noivo ou noiva, mas isso... Depois de papel assinado, não há muito a fazer.

paulaf.jpg

 

  • A bailarina - É aquela convidada que adora dançar e que arrasta todos os olhares para ela na pista de dança. Sozinha faz a festa e dá show. Haja pessoa e energia para aguentar tantas voltas e piruetas. A dança a mim não me assiste e o redbull também já não faz efeito.

not_78974.jpg

  • O esponja - Muitas vezes é associado ao padrinho do noivo, mas pode não ser. É aquele convidado que aproveita o casamento para tirar a barriga de miséria e beber muito e de tudo. No final da noite, é um chato bêbado que já ninguém suporta! Basicamente, ninguém cai aos seus pés de amor, mas ele, com certeza, vai cair aos pés de muita gente.

hqdefault.jpg

 

 

  • Os antisociais - Aqueles convidados que não falam, estão no seu canto e que se não fosse pelas fotografias nem se sabia que tinham ido ao casamento. Podemos facilmente confundi-los com fantasmas, a única diferença é que estes dão despesa.

 

  • O desconhecido - Amigo de alguém que foi convidado mas que ninguém conhece. São praticamente os "fura-casamentos, mas esperemos que neste casamento, pelo menos um convidado os conheça.

 Preparados para encontrar estes convidados nos casamentos deste ano?!
Divirtam-se e bons casamentos!

Cudgi & Nono <3

 

 

 

 

É tempo de fazer acontecer...

b69350059e5a5659244579a9de7c59ab.jpg

É hora de agir! 
É hora de perder os medos e sair a grande velocidade atrás do que nos faz feliz. 

É hora de fazer as perguntas sem ter medo das respostas. É hora de lutar pelo que queremos. 

É hora de lutar. É hora de conquistar. É hora de conversar. É hora de deitar tudo cá para fora. 

É hora de ser sincera comigo mesma. É hora de ignorar criticas destrutivas. É hora de ignorar opiniões fúteis.

Todos os dias temos 24 horas. Todos os dias adiamos coisas. Adiamos conversas com medo dos caminhos que possam tomar. Adiamos perguntas cruciais com medo das respostas. Adiamos cafés. Adiamos jantares. Adiamos aquele beijo. Adiamos aquele passeio. Adiamos tudo e tudo...

Mas BASTA! 

É hora de fazer as perguntas que têm de ser feitas! É hora de seguir em frente sem pedras no sapato. É hora de cocretizar em vez de adiar.
É hora da conversa, das decisões. É hora de fazer acontecer.

É hora de deixar medos e receios de lado, de pensar no agora.

É hora de deixar-mos as desculpas de lado. É hora de viver e ser feliz! 


 

Cudgi & Nono <3

 

Um mundo desigual, onde a igualdade deveria ser ordem

racismo.jpg

 

Encontro, em cada canto, em cada momento, em cada lugar, alguma desigualdade, por vezes, algo que já não faz sentido, outras vezes algo que até parece ridículo ainda existir, outras vezes algo que "não faz muita diferença" para grande parte das pessoas.

Vejo, no nosso país, uma desigualdade descomunal no que aos salários diz respeito, vejo as pessoas a receberem o salário mínimo (porque, felizmente, a lei não permite que menos recebam. Porque não seria admirável nem isso receberem se a tal não estivessem os patrões obrigados) e terem de trabalhar horas e horas a fio, muitas vezes sem receberem horas extra, porque a entidade patronal assim o exige e estas sujeitam-se porque "não posso ficar sem este emprego. Depois para onde vou?".

Vejo os jovens a sujeitarem-se às mais precárias condições de trabalho, porque "Preciso de começar a ganhar dinheiro, além disso, isto foi uma sorte, ninguém dá trabalho a quem não tem experiência", e caso pensem sequer em dizer que as condições não são nada adequadas ou compatíveis com o cargo, recebem uma grande resposta por parte de quem contrata "Isto é o que há. Está difícil para nós também, mas se não quer tenho muitos mais que querem. E se oferece-se menos também tinha quem quisesse" (infelizmente, têm razão).

Vejo as escolas com menos condições porque não têm crianças cujos pais têm uma grande condição financeira e como tal, parece que não precisam de ter as mesmas oportunidades que estes, parecem menos pessoas porque a conta bancária não atinge um número considerado aceitável para um serviço de qualidade.

Vejo as pessoas não terem os mesmos recursos, na saúde, na justiça, na educação, porque não têm dinheiro e "Um bom serviço, tem de ser pago". Um bom serviço deveria ser um direito de todos os cidadão, de todos os que contribuem para que o estado possa apresentar bons resultados, para que o estado consigo "governar" o nosso país.

Vejo as mulheres continuarem a ter menos direitos só porque "Isto já é assim há muito tempo, porque é que se vai estar agora a mudar?", porque os tempos mudam, porque as mulheres deveriam ter tanto poder como os homens, porque ninguém é mais ou menos do que ninguém.

Vejo a forma diferente como as pessoas de diferente género, de diferente orientação sexual são tratadas, só porque "Isto não é normal. Têm alguma doença. Precisam é de serem tratados". Quem precisa de ser tratado é o autor de tal comentário para com alguém que não se enquadra no que se diz "normal" na sociedade, a normalidade só assim é chamada porque a maioria das pessoas assim foi educada, porque não querem aceitar que não existe um "padrão normal"

Vejo a forma como as pessoas de diferente cor são mal tratadas, injuriadas, só porque "Esta gente não é daqui, veio para cá fazer o quê? Volta mais é para a tua terra". Nós também não nos concentramos apenas no nosso país, porque temos de tratar mal quem procurou melhores condições e veio ter ao nosso cantinho? Não somos o único povo no mundo, não somos a única cor, não somos os "normais", porque existe diferença, mas não deveria existir preconceito.

Vejo a desigualdade espalhada por todo o país, por todo mundo, vejo as crianças a crescerem com o estigma de que a desigualdade é uma constante e não vejo a educação destas crianças a ensinar o contrário. A desigualdade existe, mas não deveríamos ser nós a lutar para que acabasse? Afinal não deveríamos ser todos iguais? Não deveríamos procurar pela igualdade em vez de dar cada vez mais poder à desigualdade?

Mas a questão que muitas vezes colocamos, vale a pena lutar? Vale a pena ir contra algo que já tão enraizado está neste mundo?

Para mim, a resposta é apenas uma, que resume várias: Desistir é que não vale mesmo de nada! De nada serve e de nada nos adianta.

5-ESTR~1.JPG

 

 

Cudgi  <3

O amor da minha vida é viver

Sol nascente 2.jpg

 

Se dou valor máximo a alguma coisa é à vida.

Se existe algo pelo qual sou apaixonada, pelo qual faria tudo é pela minha vida.

Apaixonei-me ao longo do tempo e continuo a apaixonar-me, todos os dias, por diversas coisas e muito mais, por momentos, pessoas, risos, aprendizagens, todos os dias há algo que me faz apaixonar mais ou pela primeira vez.

Acho que nunca estive realmente apaixonada por alguém, em que percebesse que aquela pessoa era o meu "mundo", que gostava tanto dela que era capaz de abdicar de mim mesma, que não faria sentido viver sem essa pessoa ao lado, alguém que pudesse dizer que era, de facto, o amor da minha vida.

Também não tenho um filho ou filhos, que colocaria acima de tudo e todos e pelo qual faria tudo, deixando-me de parte para o colocar sempre em primeiro lugar, pelo qual daria tudo e de tudo faria, para que podesse ser o amor da minha vida.

Na realidade, o amor da minha vida é viver.

É crescer diariamente com cada pequena coisa, é aprender um pouco com cada pessoa que conheço, é gargalhar com cada piada contada, mesmo que, por vezes, algumas não tenham assim tanta piada, é conhecer novos locais e apreciar cada paisagem, é sentir os olhos brilharem por ter à minha frente algo que me faz querer continuar lá.

O amor da minha vida é cada pequeno e minimo detalhe de viver, num mundo imenso, com grandes complicações e frustações mas onde apreciar cada momento e querer sempre mais um pouco de felicidade é a garantia de que encontrei o amor da minha ao ser apaixonada pela vida e por viver intensamente.

 

Cudgi <3