Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

duasmulheresemeia

Caminhada

Tracei um caminho que deveria ser uma auto estrada e que agora não passa de um pequena estranha remendada, onde não existem atalhos, onde as encruzilhadas são mais que muitas e a inversão de marcha á proibida.

Tracei um caminho onde existe um aviso de perigo de derrocada, que agora está obstruído e que, a qualquer momento, uma cratera no seu centro se pode formar.

Tracei um caminho onde só se dirige num só sentido e não encontro forma de poder estacionar para, simplesmente, descansar.

Tracei um caminho que agora já não faz sentido e que parece que ficará inacabado.

Tracei um caminho por onde já não quero passar, um caminho que já não me dá vontade de percorrer, um caminho que parece demasiado perigoso e incerto para mim.

Tracei um caminho que já não reconheço que me pertença, um caminho que já não reconheço como meu.

Tracei um caminho que não quero mais percorrer, mas que já me fez andar muito.

Tracei um caminho com vários atalhos, várias curvas, vários perigos.

Tracei um caminho que já não me leva para casa mas já me levou a muitos locais.

Tracei um caminho e agora vou traçar outro e daqui a tempos traçarei muitos mais pois caminhos são feitos para percorrer, porque parados não avançamos.

Tracei um caminho e traçarei muitos mais porque se fosse para parar deixava de pensar em caminhos, deixava de traçar qualquer novo itinerário, porque se fosse para parar teria traçado apenas um único objetivo, nunca mais caminhar.

Porque, traçar caminhos e deixar de os percorrer não é como se não tivesse objetivos definidos mas sim ter diferentes objetivos à medida que vamos avançando.

Porque crescemos ao longo da caminhada e não queremos sempre o mesmo, nem caminhamos sempre para o mesmo lado, o importante é nunca parar de caminhar.

Traçar diversos caminhos é ter sempre objetivos a cumprir.

 

Cudgi :)

 

 

O amor da minha vida é viver

Sol nascente 2.jpg

 

Se dou valor máximo a alguma coisa é à vida.

Se existe algo pelo qual sou apaixonada, pelo qual faria tudo é pela minha vida.

Apaixonei-me ao longo do tempo e continuo a apaixonar-me, todos os dias, por diversas coisas e muito mais, por momentos, pessoas, risos, aprendizagens, todos os dias há algo que me faz apaixonar mais ou pela primeira vez.

Acho que nunca estive realmente apaixonada por alguém, em que percebesse que aquela pessoa era o meu "mundo", que gostava tanto dela que era capaz de abdicar de mim mesma, que não faria sentido viver sem essa pessoa ao lado, alguém que pudesse dizer que era, de facto, o amor da minha vida.

Também não tenho um filho ou filhos, que colocaria acima de tudo e todos e pelo qual faria tudo, deixando-me de parte para o colocar sempre em primeiro lugar, pelo qual daria tudo e de tudo faria, para que podesse ser o amor da minha vida.

Na realidade, o amor da minha vida é viver.

É crescer diariamente com cada pequena coisa, é aprender um pouco com cada pessoa que conheço, é gargalhar com cada piada contada, mesmo que, por vezes, algumas não tenham assim tanta piada, é conhecer novos locais e apreciar cada paisagem, é sentir os olhos brilharem por ter à minha frente algo que me faz querer continuar lá.

O amor da minha vida é cada pequeno e minimo detalhe de viver, num mundo imenso, com grandes complicações e frustações mas onde apreciar cada momento e querer sempre mais um pouco de felicidade é a garantia de que encontrei o amor da minha ao ser apaixonada pela vida e por viver intensamente.

 

Cudgi <3 

 

 

 

Agarra-me em cada detalhe ou perdes-me para sempre...

dedos.jpg

Ninguém me pode roubar de ti se diariamente me conquistares.
Ninguém me pode tirar de ti se valorizares as minhas atitudes e opiniões.

Ninguém nós pode separar. Só nos podem separar quando deixarmos de cuidar dos detalhes do dia um do outro.

Só nos podem separar no dia em que deixarmos de dar atenção um ao outro.

Só nos podem separar quando já não existir sentimento e vontade de lutar por ele.

Por isso, não tenhas medo que me roubem... tem medo de não seres capaz de me suportar. De não seres capaz de me conquistar todos os dias. Porque é disso que eu tenho medo...
Tenho medo e admito! Tenho medo de não te conseguir conquistar diariamente. Tenho medo de deixar que os "problemas dos adultos" nos absorvam e me impeçam de te dar toda a atenção que mereces. Tenho medo que te roubem de mim, que te levem de mim...
Mas é esse medo que me faz ter a certeza que te quero na minha vida. Porque senão tivesse medo, significava que não me eras nada. E tu não és tudo mas estás lá perto. Por isso, prometo-te que vou fazer de tudo para te conquistar dia após dia... independentemente do que possa vir na pagina seguinte da nossa vida...

Por isso, hoje, amanha e sempre vou cuidar do que amo, para que ninguém o possa roubar... Porque muitas vezes só damos valor ao que tínhamos quando perdemos...

 

"Por isso ama-me como se me fosses perder.
Procura-me como se nunca me tivesses tido.

Agarra-me como se eu fosse desaparecer"



Cudgi & Nono <3

Mau feitio (não é meu, obrigam-me a tê-lo)

2013005.png

 

A realidade é que eu não sou, normalmente, uma pessoa muito bem humurada. Bem disposta e sorrindo para tudo e todos eu consigo ser, desde que isso não implique "abrir a boca", falar para alguém ou fazer algo que não estou disposta (o que normalmente é sempre, visto que adoro, o "não fazer nada e nada fazer"). Perante tudo isto, dá para compreender que não sou muito boa em dar boas respostas ou ser simpática muitas das vezes do meu dia.

Acho que é um bichinho que está em funcionamento grande parte do meu dia, mas, eu não tenho culpa, isto está no meu interior! Não é defeito, é feitio! (Muito mau, eu sei).

Eu sou o tipo de pessoa que dá respostas mesmo "À lá mamã", do género, quanod me perguntam "Queres ver isto, ou fazer aquilo?", a minha resposta, "Não." e "Por quê?", "Porque não. Simples assim. Não tem de existir uma razão. Não quero, ponto." É basicamente o que a minha mãe me respondia quando não me deixava fazer algo, e a razão era... Nenhuma! Ela não deixava e fim de conversa. (Talvez já esteja a treinar para criar os meus filhos, ou é só mesmo preguiça de arranjar uma justificação).

Mas também existem momentos em que estou bem-humorada, e penso, "Uau, hoje o dia vai ser ótimo, porque me sinto mesmo feliz e contente", mas NÃO!! Existe sempre algo ou alguém que faz acordar o bichinho que nesse dia (sendo ele tão preguiçoso como eu), nem se tinha dado ao trabalho de se pôr a pé, claro está que acordou mal disposto.

Como as pessoas que tiraram a carta de condução por correspondência, correspondência com estupidez! Porque não é possivel que tenham tido todas as aulas de código e condução, é muito erro junto. Ou aquelas pessoas que se esqueceram da educação aos pés da cama, acordam com pressa e esquecem o mais importante, a educação que é linda e se recomenda, e entram em qualquer local já a discutir com o próprio ar porque não os está a fazer respirar com perfeição. Claro que o meu mais profundo mau feitio quer sair da sua caixa e mandar estas pessoas para... a sua casa... Descansar e só sairem novamente quando contribuirem, em bom, para a sociedade (Na realidade apetece mesmo dar uma má resposta ou opinião, mas o meu bom senso não deixa. FELIZMENTE!)

Ou quando me fazem perguntas do género, "Então? Vieste sozinha? Não trouxeste o namorado?", "Trouxe, claro! Só que é o homem invisivel e as pessoas têm dificuldade em vê-lo", ou, "Claro que trouxe, mas é um super herói e agora teve de sair para salvar o mundo" (Salvar o mundo de pessoas com perguntas idiotas!!) (Se não está ali, é porque não o trouxe. Mas em que contribui isso para a sua felicidade?). E não esquecendo, "Já tens idade para ter um bom emprego e até para casar", fica aquela resposta na ponta da língua "E você já tem idade para ter juízo e não se meter na vida dos outros e não me ouve a opinar sobre isso, certo?" (Mas se me quiser arranjar um emprego, eu não me importo, o marido pode ficar com ele, se lhe fizer jeito).

Perante isto, depois de toda esta análise e introespeção à minha pessoa, acho que até nem tenho mau feitio, as pessoas é que me obrigam a tê-lo, porque eu até sou uma pessoa bastante calma e bem humurada.

QUANDO NÃO ME CHATEIAM! OU QUANDO ESTOU A DORMIR!

Cudgi <3

 

Tipo de pessoas no Supermercado

Quando vamos ao supermercado cruzamo-nos com diversas pessoas.
E foi na minha ultima ida a um que eu me lembrei de observar os vários tipos de pessoas.

Vejam bem em que grupo se enquadram:

 

  • Atletas - Enchem o carrinho basicamente com aveia, queijo fresco e ovos... é difícil passar despercebidos tamanha a quantidade desses ingredientes que colocam sobre o tapete rolante.

 

  • Saudáveis - Aquelas pessoas que enchem o carrinho de tudo que é saudável, legumes, peixinho fresco, carnes brancas, etc...

 

  • Gulosos - Sobremesas, chocolates, bolos, primam no carrinho destas pessoas. Doces e salgados são os reis destes carrinhos de compras

 

  • Gourmet - destacam-se pelos produtos serem de eleição e em pequenas quantidades. O custo não é importante mas sim o requinte dos pratos que se poderão confecionar.

 

  • Inexperientes na cozinha - O carrinho enche-se de comida pré confecionada o que ajuda toda e qualquer pessoa que não tenha muito jeitinho para cozinhar e facilita a tarefa de não pegar fogo à refeição ou toda a cozinha.

 

  • Donas de casa -   vão as compras e o que mais levam é produtos de limpeza, detergentes, amaciadores, etc. Apostam mais na limpeza do que na confeção de refeições..

  • Salvadores - Aqueles que vão ao supermercado buscar o que faltava para salvar o almoço ou jantar. O super-herói que entra em ação para salvar a refeição do dia.

 

  • Organizados - Utilizam a lista de compras e por isso também são poupadinhos. Não deixam escapar nada do que necessitam e não acrescentam nada mais além do necessário.

 

  • Aprendizes - Percorrem todos os corredores à procura do que precisam, do melhor preço e, em metade das vezes, nem sabem o que faz falta em casa. Andam a aprender a fazer compras e a desvendar todos os caminhos labirínticos dentro de um supermercado.

 

Estes foram os tipos de pessoas que consegui identificar, conhecem mais algum tipo? Enquadram-se em algum? Conseguem descobrir em que grupo me enquadro?

nutrição-em-pauta-lurdiane.jpg

Nono <3

 

 

A tua metade neste mundo...


 

A maioria das pessoas já ouviu alguma destas expressões “para cada tacho existe um testo” ou “para cada pé existe um chinelo” na sua vida.

Parece que todos nós temos alguém no mundo que é a nossa "cara metade". Agora expliquem-me lá como num mundo com biliões de pessoas vamos conseguir cruzar com a nossa cara metade? Mais, como é que cruzamos, começamos a falar e então aí percebemos que é a nossa cara metade? Pois bem não sei, talvez o destino?!

Não acredito muito que exista no mundo alguém que seja a nossa "metade da laranja" (ou da maçã, ou qualquer que seja a fruta que mais vos aprás).

Li há uns tempos uma noticia que mencionava que 86% das pessoas conhece a sua cara metade antes dos 18 anos. Mas só mais tarde é que percebe que era a "pessoa ideal". Ora bem, eu já passei dos 18, tenho 86% de possibilidade de já me ter cruzado com a minha cara metade? Então miúdo, que andas tu a fazer? Não precisas de um cavalo branco, podes mesmo vir a pé, eu não me importo (ou então num belo porshe. Porque o amor e uma cabana é muito bonito, mas só para passar férias).

Mas afinal o que é a nossa cara metade? É aquela pessoa que nos sentimos que é a tal! (não me perguntem como, ainda não a encontrei!Ainda estou à espera que aconteça como nos filmes, em que os olhares se encontram e borboletas fazem um espetáculo de dança na barriga, faíscas iluminam os céus e corações começam a rodar sobre as nossas cabeças. Ou então alguém que me segure no segundo antes de cair no chão, depois de nos termos esbarrado e o mundo pára. Entretanto acordo, antes de conseguir falar com ele)

A tal ou o tal é aquela pessoa que trás ao de cima o melhor que podes ser. É a pessoa que te faz sentir especial e única. Aquela pessoa que acredita em ti, apoia-te, ampara-te, luta ao teu lado, ensina e aprende. É alguém com quem podes ser tu, que te dá liberdade e asas para seguires para onde quiseres e mesmo assim tu queres ficar junto dela. A tal soma à tua vida, é sempre mais e melhor. Juntos aprendem a perdoar, desculpar e a tirar partido das discussões. Juntos superam tudo, juntos são mais. A tal pessoa, a tal alma gémea existe… mas é preciso aprender a respeitar, olhar, valorizar e amar.

Não precisamos de viver e objetivar toda a nossa existência para o encontro com a "nossa metade", porque antes de encontrar-mos alguém que nos complete e acrescente à nossa vida algo de bom ou maravilhoso, temos de nos amar a nós próprios, temos de viver satisfeitos com o que temos, com o que conseguimos até ali, com o que conquistamos e vamos sempre conquistando.

 

Porque alguém que nos complete, é ótimo, mas o amor próprio é muito mais.

 

metade-da-laranja.jpg

 

Cudgi & Nono <3 

Mãe, Pai, Cresci!

Crescer.jpg

 Longe vai os tempos em que era apenas um pequeno embrião no ventre da minha mae, acariciada pela grande mão do meu pai.

Longe vai os tempos em que era uma recém-nascida, amamentada pela mãe, chorando por ter fome, por ter dores, porque sim e porque não (e não era capaz de dizer o porquê de tanto choro).

Longe vai os tempos em que mal chegava aos pedais da bicicleta e o mais longe que podia estar de alguém era do quarto para a cozinha.

Longe vai o tempo em que a face era coberta de acne e a vinda do período menstrual pela primeira vez foi um horror, um susto de morte.

Longe vai o tempo em que a troca de escola, a separação dos amigos de infância e a escola de um curso para secundário era a maior preocupação de todos os tempos e o terror de todos os terrores.

Longe vai o tempo em que a escolha de uma profissão, a entrada para uma universidade e a separação (mesmo que provisória) dos pais parecia o pior medo e a pior escolha a ser feita.

Longe vai o tempo em que a vontade de fazer tudo bem à primeira, ser a melhor em tudo e fazer apenas o que gostava era uma realidade.

Longe vai o tempo em que era criança, adolescente, jovem-adulta. Longe vai o tempo em que era uma preocupação para os meus pais, ou assim deveria ser. Já não sou uma criança, já não preciso de ajuda constantemente ou que resolvam os meus problemas, não preciso que me digam o que devo fazer ou o que deveria fazer porque é o melhor para mim.

Mas, continuo no tempo em que os meus pais acham que ainda sou um “bebé”.

Continuo no tempo em que a minha mãe me faz mil e duzentas recomendações antes de sair de casa, ou me liga de 10 em 10 minutos se demoro muito a chegar a casa.

Continuo no tempo em que o meu pai acha que ainda não sou capaz de fazer uma grande viagem, pois passarei muitas horas a conduzir ou não conheço mais ninguém.

Acho que ficaram no tempo em que querem e continuam a tomar conta de mim, não querem que cresça, não querem que me “desapegue” deles, porque serei sempre, uma eterna criança.

Mas já não sou uma criança, cresci e continuo a crescer, todos os dias um pouco mais, todos os dias um pouco mais culta e adulta. Cresci desde o tempo em que precisava de proteção e aconchego e continuarei a crescer, mas os meus são os únicos que parecem não entender.

Mas admitindo, a realidade é que, apesar de não parecerem ver-me a ficar cada vez mais velha, cada vez mais crescida, eu adoro continuar a ser a sua criança, a ser a menina que precisa de apoio e proteção, adoro continuar a sua pequena filha!

Eu cresci mas continuarei a precisar deles junto de mim!

 

Cudgi <3

 

 

Tipo de pessoas no Cinema

Eu adoro ir ao cinema. (Sim, eu sou viciada em cinema e em filmes!)

com-o-brasil-em-polvorosa-stf-decide-sobre-pipoca-

 

Por isso, hoje apresento-vos os vários tipos de pessoas que existem no cinema:

 

  • As viciadas - A cada passo estão a pegar no telemóvel. São literalmente viciadas em tecnologias, e não acredito que consigam ver o filme. Além de que a luz do ecrã incomoda as restantes pessoas! (incluindo a mim)

 

  • As comilonas- Aquelas que trazem o balde de pipocas e passam o filme todo a comer esse petisco.

 

  • Os apaixonados- Aquele casal que escolheu o escurinho do cinema para dar umas beijocas que se prolongam pelo filme todo. (O amor não escolhe idade nem local, néh? Ao menos são felizes!)

 

  • Os críticos- aquelas pessoas que passam o filme todo a comentar o sucedido, os atores, os planos, as falas... não se calam durante o filme todo.

 

  • Os espectadores - Pessoas que pagam o bilhete para ver um filme, e como promoção e bónus assistem a uma sala de cinema com pessoas a comer e atirar pipocas, críticos, apaixonados e viciadas. Mas vendo pelo lado positivo, em vez de um filme, assiste a dois!

 

Eu sou espetadora e vocês encontram-se em que tipo de pessoas? Vá lá sejam sinceras...

Nono <3

 

 

 

Vontade de fugir/Vontade de mudar

Existem momentos em que a vontade de desapegar de qualquer coisa, de qualquer sentimento, de qualquer que seja a situação é mais forte do que permanecer no local onde se está, de lutar contra os problemas, de avançar para melhores dias.

A vontade de fugir de tudo o que nos rodeia é 200% superior à vontade de continuar a viver a nossa vida.

Mas não é isso saudável?

Se sempre estivéssemos contentes com o que nos rodeia, com o que fazemos, com o que nos acontece, não faríamos nada para melhorar, para mudar, passaríamos toda a vida a viver da mesma forma, a fazer as mesmas coisas, a ter as mesmas experiências, a praticar nas mesmas conversas, a ter as mesmas ideias, a defender as mesmas crenças, a ser os mesmos.

A vontade de fugir faz com que mudemos, faz com que procuremos mudar o mundo onde nos encontramos, a forma como vivemos, os momentos que passamos, as conversas que temos, as ideias que tínhamos, faz-nos mudar o que somos.

A vontade de fugir faz com que tentemos mudar algo, faz com que nos apercebamos que o que temos e o que fazemos já não nos satisfaz, já não nos completa, faz com que percebamos que queremos mais, que queremos algo diferente.

A vontade de fugir dá-nos a oportunidade de reflexão sobre a nossa vida, a forma como decorre e como queremos que ela se desenvolva.

A vontade de fugir de tudo e de todos, dá-nos a oportunidade de nos refugiarmos em nós próprios (nem que seja apenas por uns momentos) e darmos valor ao que temos, darmos atenção ao que estava esquecido e mudar o que não gostamos.

Porque sem a vontade de fugir, o caminho seria sempre reto e é em cada curva, em cada encruzilhada, em cada caminho que parece sem saída que nos fortalecemos, que aprendemos e que damos sempre mais de nós. É em cada vontade de fugir que nos modificamos.

É a vontade de mudar e de quebrar a rotina, só assim evoluímos. Só assim crescemos e adaptamo-nos a todas as mudanças da nossa evolução.

Eu tenho vontade de mudar! Vontade de fugir! Vontade de crescer! Tenho vontades... e elas comandam a minha rotina!

tumblr_laka661ktu1hiuhqci7wpo1_500.jpg

 

 Cudgi & Nono <3