Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

duasmulheresemeia

duasmulheresemeia

Futuro no passado

mensagens-sobre-o-futuro-1.jpg

Com 20 e poucos anos, as minhas projeções de futuro estão um pouco no passado. Desapareceu a ingenuidade do “tudo é possível”, talvez pelos sucessivos entraves a tal acontecimento.

Acho que nesta idade ainda poderia acreditar que tudo é possível, que basta força de vontade, luta, persistência e muito amor pelo que se quer, além de trabalho, claro, para conseguir ser e ter tudo aquilo que quero. Deveria ter o pensamento de que tudo é possível, que nada nos é dado sem esforço mas, na realidade, nada é impossível, se é mesmo o que queremos, basta acreditar.

Deveria ter uma visão de um brilhante futuro, pensar que, agora, é que poderei começar a minha vida, agora é que poderei ser o que sempre quis, agora é que tenho de lutar com todo o poder que tenho para alcançar o que sempre quis. Mas a única coisa que consigo visualizar no momento, é que o futuro não parece nada brilhante, é que o que sempre quis talvez não seja aquilo que conseguirei, que depois de tanto esforço a caminhada parece levar-me ao mesmo local inicial.

Depois de terminar um ciclo na vida, depois de cumprir um sonho, deveria ter a caixa de sonhos cada vez mais cheia, mas já comecei a desfazer alguns, já não tenho a sensação de que “conseguirei tudo o que quero”, já não acredito tanto na frase “Vais conseguir”, já não fazem sentido as frases de incentivo “Basta acreditar e tudo será possível”, “Trabalho e persistência, vão levar-te onde queres”, “Podes fazer de ti aquilo que quiseres”, com 20 e poucos anos, já não acredito em todas estas “verdades”.

Já não acredito que o trabalho, a persistência, o talento, o acreditar, me colocarão aonde quero estar, me levarão para onde sempre quis ir, já não acredito que “É possível basta acreditar”. Com a minha idade e depois de um grande sonho cumprido, a lutar por realizar muitos mais e cada vez maiores, as derrotas custam ainda mais, o objetivo final parece cada vez mais longe e, possivelmente, alguns sonhos terei de abandonar definitivamente.

Mas, afinal, a vida não é isso mesmo? Não se trata de fazer opções? De crescer com o que se vai aprendendo? Não perder a vontade de continuar a lutar mas perceber que existem mesmo impossíveis?

Cada vez mais percebo que nem todos os meus sonhos são possíveis de realizar, por mais que eu trabalhe, por mais que eu lute, por mais que eu insista. NÃO! Não é possível concretizar todos os sonhos e muitos ficarão pelo caminho, alguns depois de tentar muitas vezes, outros apenas depois de avaliar novamente e até nem tentar, são opções. São fases de crescimento.

Por isso, com 20 e poucos anos deixei de acreditar que o meu futuro será perfeito e será o que sempre imaginei. Não será, pode ser melhor ou pior. Talvez tenha demorado demasiado para perceber isso ou talvez pudesse ter sonhado mais um pouco, mas algum dia iria perceber, certo?

 

Cudgi <3

Liberdade da atualidade

Militares com cravos nas espingardas no dia 25 de  

Hoje é 25 de Abril, por nós conhecido como Dia da Liberdade ou Revolução dos cravos.

Para chegarmos onde estamos, muito se fez e muito mudou, a partir do grande feito de 25 de Abril de 1974. Até 25 de Abril de 1974 vivia-se a Ditadura, o medo estava instalado em todo os locais, em qualquer pessoa, a revolta era apenas interior e os pensamentos contraditórios à situação real, normalmente, eram apenas isso mesmo, pensamentos.

Temos alguns pontos diferentes, de antes e depois do 25 de Abril que podemos facilmente identificar:

  • Existia, antes do 25 de Abril, a guerra colonial, que obrigava todos os portugueses a combater e quem se recusa-se, a única solução era fugir. Atualmente, a guerra é com os governantes e leis deste país e, por vezes, também apetece fugir.
  • Não existia liberdade de expressão, nem de associação. Atualmente, falta um pouco de filtro em muitas expressões de opinião, em compensação associamo-nos a muita coisa que nem sabemos o que é.
  • Existiam presos políticos. Atualmente, existem muitos polítcos soltos que deveriam era estar presos.
  • Não existia o direito a eleger os governantes do país, as eleições era algo longuínquo. Atualmente, pedem quase por favor, para que não deixemos de votar.
  • Não existia um sistema de saúde, educação nem reformas. Atualmente, a saúde e a educação não são as melhores mas vão indo, as reformas é que já nos parece um caso um pouco mais complicado.
  • Existia tortura para quem desobedece-se às leis. Atualmente algumas leis, por si só, já nos torturam o suficiente.
  • Não se dizia mal dos governos nem seus responsáveis. Atualmente, diz-se mal dos responsáveis, dos governos, dos amigos e inimigos.

Para que existiu o 25 de Abril?

Para podermos fazer tudo isto. Para podermos escolher, se vamos ou não votar, se queremos ou não dar a nossa opinião (seja ela qual for), para falarmos bem ou mal dos governos, para podermos simplesmente ter o direito a pensar por nós, a conhecer mais, para termos direito a melhores condições, para podermos protestar e não nos acomodar-mos com o que nos dão. Para podermos simplesmente ser livres.

No entanto, acho que alguns desses valores se foram perdendo ao longo destes 43 anos. Estaremos a precisar de outra revolução? Com os mesmos principios, com a mesma calma, para melhores resultados do que os atuais (mas arranjaremos outra flor para a ocasião).

Muito obrigado a todos os que lutaram, a todos os que sairam às ruas, a todos os que participaram, direta ou indiretamente, nesta revolução, porque graças a essa luta, hoje festejamos a Liberdade. 

25_Abril_900.jpg

 

Cudgi <3

 

 

 

 

Confusão

tumblr_mblubzJqCG1ruofv2o1_500.jpg

 Sinto-me confusa. Estou mergulhada numa imensa confusão. Confusão é o estado do que não tem ordem interna e eu internamente estou desorganizada, perdida algures dentro de mim, dentro deste mundo, dentro desta sociedade. 

Encontro-me numa altura da vida onde a palavra que melhor me descreve é confusão. Estou confusa! Não sei, talvez pela primeira vez na vida, o que ando a fazer. Roubaram-me os planos. Retiraram-me o pára-quedas. Pela primeira vez sinto que não sou capaz. Não sou capaz de decidir desistir do sonho. Começo a acreditar que correr atrás do sonho não é o propósito da minha vida. Mas não encontro o propósito dela.

Pela primeira vez não sei que caminho seguir, não sei se devo dirigir-me em linha recta ou se terei de fazer alguns desvios, não sei se devo continuar a caminhar ou se esta pausa tem uma razão de ser. Os planos terminaram e ainda não consegui planear nada mais, existe em mim um emaranhado de caminhos, que se cruzam e me dificultam a compreensão, caminhos que me parecem sem saída, caminhos que não conheço o começo, tão pouco o fim.

Durante anos achei que, escolhe-se o caminho da esquerda ou da direita conseguiria desenrascar-me, ser capaz de superar e chegar ao destino: à felicidade. Hoje, não consigo tomar decisões. Não encontro opções! Vou à procura delas, vou á procura da realização de um sonho. Mas será que o que tanto desejo me fará feliz? Será que é por isso que o universo me está a dificultar as coisas? Ou será que é para aprender a dar valor às minhas conquistas? Não sei a resposta a nada mas sei que estou confusa!

Sinto a confusão instalada em mim e no que sou, no que faço e não faço por não compreender como o fazer. Sinto-me sem opções porque a confusão em mim não me deixa compreender as alternativas. Sinto os meus sonhos travados porque as confusões se instalaram até neles. Sinto a minha vida sem rumo, sinto-me sem as rédias de mim mesma por que a confusão já parece dona de tudo.

Sinto que já não sou eu, porque até isso a confusão me tirou.

2abe3d7ac9dc818bcaeea35b0bd5523b.jpg

 

Nono & Cudgi <3

 

 

Intrigas, mentiras e mal dizeres

7b886e171d1b3a66c0e7df2a25cfe58a.jpg

Vivemos numa sociedade de intrigas, onde o “diz que disse” tem mais valor que a palavra de uma pessoa, onde as mentiras ultrapassam quaisquer verdades, onde falar deste e daquele tem mais interesse do que a nossa vida, o que realmente nos interessa.

Vivemos numa sociedade em que nada nem ninguém é mais importante do que o nós próprios, em que a única preocupação é viver sempre mais e muito melhor, não importando o que terá de ser feito nem “por cima” de quem terá de se passar.

Vivemos numa sociedade em que mentiras são ditas como verdades, em que a verdade não tem o mesmo valor que tinha ainda há anos atrás.

Parece não ser importante dizer a verdade ou aquilo que se pensa (sem magoar ou ofender alguém), parece cada vez mais invisível a transparência das pessoas.

Vivemos numa sociedade de fachadas, onde temos de dizer o que é esperado ouvir. Dizemos o que o outro quer ouvir e ocultamos o que é preciso ser dito. Ocultamos as verdades sobre os outros, e eles ocultam as verdades sobre nós, aquilo que os outros precisavam ouvir e aquilo que nós merecíamos saber.

Vivemos numa sociedade onde aparências valem mais que valores próprios. Vivemos numa sociedade de interesses. Vivemos numa sociedade de falsidade. E pior que isso... Construída por nós.

Continuamos a desculpar-nos com "Foi uma mentira piedosa!" ou "A verdade ia magoá-la(o)" e esquecemo-nos de nos colocar no lugar do outro. Esquecemos de fazer aos outros o que gostavamos que fizessem connosco. Esquecemo-nos que uma pequena mentira, um pequeno engano, um pequeno erro, uma pequena intriga pode tomar proporções enormes, pode tornar-se insustentável e o que parecia inofensivo pode causar uma enorme estrago. Esquecemo-nos que por mais difícil que seja a verdade, por mais mágoa que cause dizer o que se pensa, esta é sempre a melhor solução, porque a verdade pode magoar mas a mentira crescerá e magoará muito mais.

Eu gosto de dizer o que penso. Eu gosto de dizer a verdade. Já aprendi que a verdade pode magoar as pessoas, aprendi que existem pessoas que não sabem ouvir a verdade, que existem pessoas falsas imunes à verdade. Já percebi que cada vez mais a sociedade é falsa. Mas também aprendi que me sinto muito melhor ao dizer a verdade, que me sinto muito melhor ao não enganar as pessoas, ao ser verdadeira. Também aprendi que prefiro que me digam a verdade mesmo que me doa, aprendi que prefiro que me magoem com verdades do que me alegrem com mentiras.

Numa sociedade falsa, quem é verdadeiro é leal/real. 

 

Cudgi & Nono <3

Sonhos

significado-dos-sonhos.jpg

Sonho todos os dias, acordada ou a dormir, com o dia de amanhã, com a semana seguinte, com os projetos que quero realizar, com projetos que me parecem pouco prováveis de realizar.

Independentemente da hora ou local... Eu sonho! Sonho com o impossível e com o que sei que alcançarei. Sonho com o que quero e com o que penso que quero ter. Sonho com o que sei que é meu e com o que nunca terei.

Sonho e volto a sonhar, porque, o sonho comanda a vida. O sonho é o que me faz correr, o que me faz lutar pelo que quero alcançar, é o que me faz ir tão longe.

Os sonhos são o meu GPS na vida. É graças à esperança de os realizar que acordo todos os dias disposta a recolher mais um não, mais uma pedra, a enfrentar mais uma batalha. é graças a eles que acordo todos os dias com o pensamento "Estou um dia mais perto". Um dia mais perto de realizar mais um sonho, um dia mais perto de dizer "Consegui".

São os sonhos que guiam o meu dia, guiam a minha esperança. Os nãos que ouço transformam-se em combustível para continuar, continuar e continuar. As batalhas que sou obrigada a travar, dia após dia, dão-me força, fazem-me sentir mais forte. Porque é de força, teimosia, persistência, perseverança, é de sonhos que preciso para ser feliz.

E a seguir à realização de um, tenho muitos mais para realizar, para correr atrás, para me superar.

Tenho muitos sonhos para realizar, para viver, tenho muitos sonhos... Apenas para sonhar!

 home_2.jpg

Nono & Cudgi <3

 

Tipos de pessoas num Concerto

Os concertos estão aí e por isso, não podia deixar de vós apresentar os vários tipos de pessoas que se encontram nos concertos! 

 

Fã Histérico - é aquele tipo de fã que sabe as musicas todas e canta-as o concerto todo, mas para além disso vibra com tudo que o cantor faça... 

 

Fã Obcecado - é aquele tipo de fã que fica na primeira fila (nem que para isso tenha de acampar uma semana), sabe as letras todas e leva até cartazes para o artista! 

 

Fã Baby-sitter - Aquele tipo de pessoa que vai ao concerto para tomar conta de alguém, seja um irmão, primo, filho... Basicamente faz o frete e fica literalmente de post a tomar conta da outra pessoa. 

 

Fã Quieto - Este é daquele tipo de pessoa que vai ao concerto só avaliar para depois criticar. Fica no seu cantinho e não incomoda ninguém. 

 

Fã Clássico - Tira uma foto para recordação. Canta as músicas mais conhecidas. E no final sai como se nada se tivesse passado. 

 

 

E entao que tipo de fã és?  Enquadras te em algum tipo ou pertences a algum que me esqueci de mencionar?

 

 

Fã Cinematográficos - Luzes, câmara, ação é hora de filmar o espectáculo! 

ng1326396_435x200.jpg

 

 

 

 Nono <3

 

 

 

Elas vão a todos os casamentos #playlist Casamentos 2017

musica-na-festa-de-casamento.jpg

Todos nós já sabemos que casamento é sinonimo de comida, comida, comida, bebida e mais comida. Eh eh eh. Estou a brincar, mas todo o casamento é animado com música. Existem as músicas intemporais e que não podem faltar (não vá dar azar aos noivos) e as músicas atuais. Assim sendo hoje reunimos as músicas que se tens casamentos este ano vais ouvir em todos eles! (Retiramos claro aquelas previsíveis demais como Ave Maria e Hallelujah. Assim, esperemos que gostem e digam lá se apostam nestas músicas? Se não quais acham que vão ser tendência nos casórios deste ano?

Para ouvires a musica basta clicares sobre o nome!


Matias Damasio - Loucos ft. Héber Marques

Nelson Freitas - Miúda Linda

D.A.M.A - Era Eu

Lucas Lucco - Mozão

Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim / Eu Sei Que Vou Te Amar - Ivete Sangalo

Diogo Piçarra - História

VIRGUL - Só Eu Sei

HMB ft. Carminho - O Amor é Assim

Anselmo Ralph - Casa Comigo

Virgul - I Need This Girl

Pollo - Vagalumes (part. Ivo Mozart)

Ed Sheeran - Thinking Out Loud

Luis Fonsi - Despacito ft. Daddy Yankee

Ed Sheeran - Shape of You

Maroon 5 - Sugar

ZAYN, Taylor Swift - I Don’t Wanna Live Forever

 

Nono <3 

 

Somebody I can kiss

 

"I'm not looking for somebody

With some superhuman gifts

Some superhero

Some fairytale bliss

Just something I can turn to

Somebody I can kiss

I want something just like this"

 

"Something just like this" é uma musica que demonstra bem que não procuramos um super Homem nem um herói, procuramos alguém na vida com  quem possamos contar em cada instante com poder a nível da palavra, atenção, carinho e amor. 
A animação que fizeram com a musica está muito gira. Todos nós conhecemos a superstição de pedir um desejo e atirar uma moeda à fonte, nunca pensei é que funciona-se desta forma. Mas a verdade é certa, quando é para ser não há nada que impeça! 

 

Capture-14.jpg

 

 

Um beijo não se pede... rouba-se! #DiaDoBeijo

 

12161120713422.jpg

"You are amazing"

Um beijo não se pede... rouba-se!

Hoje é dia do beijo, um gesto para muitos de amor e carinho, para outro banal e de cortesia. 

Por isso, aproveita o dia de hoje para demonstrares o amor e carinho.

 

Beija no meio de uma frase.

Beija no meio da rua.

Beija à chuva.

Beija com paixão. 

Beija com emoção. 

Beija! Beija! Beija! 


Beijinhos

Cudgi & Nono <3

Sozinho ou acompanhado

bf063a56459769838d72ebac28469548.jpg

Sozinho ou acompanhado brilhe...

Quando acompanhados a vida parece ter mais cor, mais ânimo, mais alegria, mas sozinhos a vida continua a existir, continua a existir alegria, continua a existir arco-íris, continua a existir luz.

Parece existir uma necessidade, quase de sobrevivência, das pessoas necessitarem de alguém para se sentirem bem, para conseguirem realizar todos os seus objetivos e sonhos, mas a realização de sonhos e objetivos também é possível sozinho.

Sozinho ou acompanhado, o caminho faz-se caminhando, em frente, com muitas curvas, alguns acidentes, possíveis inversões de marcha, mas com o objetivo de seguir em frente, chegar o mais longe possível.

Fazer o maior número de coisas possíveis, coisas que agradem a si mesmo, coisas que satisfaçam, que construam o melhor ser humano, coisas que deixem o seu interior mais completo, mais feliz.

Sozinho ou acompanhado, é necessário fazer o melhor, o melhor que se sabe, o melhor que se consegue, o melhor que se pode, o melhor de cada um.

O melhor não é sempre o mais perfeito, não é sempre o que deveria ser feito em determinado momento ou situação, o melhor é dar o máximo, é a sensação de que se fez tudo o que cada um poderia fazer.

Sozinho ou acompanhado, o importante é, não deixar de sonhar, não deixar de lutar, não deixar de querer e fazer, de tudo, muito, para o conseguir.

Sonhar é o que faz cada um crescer, é o que faz cada um querer sempre mais, é o que faz cada um lutar para alcançar os sonhos, é o que torna cada um melhor, a cada dia de passa.

Sozinho ou acompanhado, o objetivo de vida, deve ser, a felicidade! Aprender, ensinar, fazer acontecer, fazer por merecer o melhor! Brilhar mesmo na escuridão, deixar a “sua marca” no mundo!

 

Sozinho ou acompanhado, o lema, é viver! Ao máximo!

 

Cudgi <3

 

Desafiamos-te #Semana 6

como_ser_fehjgbliz.jpg

O desafio desta semana é: Ver a lua e estrelas

Sentar ou deitar no jardim, sobre a relva ou apenas numa cadeira ou até no chão, a comtemplar a bela noite, com uma lua maior ou mais pena, com muitas ou poucas estrelas, apenas contemplar o céu, à noite e pensar em muita coisa ou em coisa nenhuma, apenas o prazer de apreciar algo bonito.

 

 

O desafio da semana passada era ver o mar, nós fomos até à praia, porque a semana teve dias bastante agradáveis, não deu para dar um mergulho, mas melhores dias para isso virão.

Olhar o mar, faz-nos pensar no quão pequenos parecemos perto dele e no quão imponente este é, faz-nos relaxar e ver o quão lindo ele é.

E vocês? Viram o mar? E o novo desafio, sertá aceite? Contem-nos!

 

Cudgi & Nono <3

 

 

Promessas

por-um-mundo1.jpg

Uma promessa é como que um contrato assinado entre duas pessoas relativamente a algo. Um contrato, embora ficticio, está muito marcado e vincado na mente de uma pessoa. Mas deveria estar na das duas! 
Atualmente prometemos mundos e fundos. Prometemos coisas que nem planeamos algum dia cumprir, prometemos somente para calar alguém... esquecemo-nos é que esse alguém tem essa esperança, esquecemo-nos é que estamos a enganar essa pessoa. Esquecemo-nos é que também a nós nos fazem isso! 
Promessas e mais promessas! Tretas e mais tretas! Onde estão as atitutes, os feitos. Os pequenos detalhes! 
Eu não quero promessas na minha vida! Porque a única coisa que posso prometer é que vou falhar, porque sou humana, porque nem sempre estou á altura da vida, dos desafios e nem sempre a vida me permite realizar as minhas promessas. Por isso eu não sou de promessas! Eu faço ou não faço. Eu tento! Eu esforço-me! Mas não prometo. 
Não quero falhar com os meus, não quero desiludir como já me desiludiram, não quero palavras bonitas em momentos bonitos... Quero um sorriso no momento certo, um "força, tu és capaz", "não desistas", quero viver momentos com os meus! 
As promessas iludem... As palavras leva-as o vento. E cada vez mais as pessoas prometem sem ouvir o outro. 

Eu "Prometo Falhar" mas estarei cá para assumir as consequências. 
Nao nasci perfeita, nao caminho para lá... Nasci para ser feliz e lutar pela minha felicidade e para isso não quero magoar os outros com promessas falsas. 

Por isso, vivo a vida, sem promessas mas com atitudes! 


Nono <3

 

 

Tipos de Convidados num Casamento

Está aberta oficialmente a época dos casamentos!!! E por isso hoje apresento-vos os vários tipos de convidados que se encontram nos casamentos.

 

  • A modelo - é aquela amiga da noiva que é super gata e está solteira. Consegue chamar a atenção de todo o homem solteiro. Uma verdadeira modelo dentro de um casamento. Faz da entrada na igreja a passerelle e, se duvidar, ainda tira mais fotografias que os noivos. Com sorte ainda dá uns autógrafos

16615971_Aguni.jpg

  • O gato solteiro - Aquele amigo do noivo que está totalmente descomprometido e que apresenta um corpinho bem trabalhado, um smoking que lhe acenta que nem uma luva, um olhar sedutor e um sorriso de fazer qualquer mulher suspirar. Normalmente, atraí a atenção de todas as amigas da noiva. O "jeitoso" que faz suspirar as meninas solteiras e as casadas, que também não são cegas, mas os maridos não precisam saber com um rabo de fazer "colar os olhinhos" e um sorriso que parece saído do comercial da colgate. Com certeza no que toca a mulheres, a festa não é para os noivos.

 

  • O fotógrafo - Aquele convidado que acha que os noivos não contraram um fotógrafo para aquele dia e acha que com o seu telemóvel pode registar todos os momentos. Aquele que tem tudo registado em fotografia e que certamente ainda vai conseguir rir com algumas imagens captadas das "pobres" e "tristes" figuras que alguns convidados foram capazes de fazer.

 

  • Os criticos - Esses criticam a quinta/restaurante, a decoração, a ementa, a comida, o servente, a música, definitivamente tudo está mal. Capazes de criticar até a escolha dos noivos de quem convidar, esquecendo-se que são um deles.

 

 

  • As policias da moda - Aqui todas nós, mulheres, somos um pouco. Comentamos, inevitavelmente, o vestido da noiva, depois das damas de honor, das amigas, das mães e sogras, e depois passamos para os restantes convidados. Basicamente, comentamos toda a gente. Capazes até de comentar a escolha do noivo ou noiva, mas isso... Depois de papel assinado, não há muito a fazer.

paulaf.jpg

 

  • A bailarina - É aquela convidada que adora dançar e que arrasta todos os olhares para ela na pista de dança. Sozinha faz a festa e dá show. Haja pessoa e energia para aguentar tantas voltas e piruetas. A dança a mim não me assiste e o redbull também já não faz efeito.

not_78974.jpg

  • O esponja - Muitas vezes é associado ao padrinho do noivo, mas pode não ser. É aquele convidado que aproveita o casamento para tirar a barriga de miséria e beber muito e de tudo. No final da noite, é um chato bêbado que já ninguém suporta! Basicamente, ninguém cai aos seus pés de amor, mas ele, com certeza, vai cair aos pés de muita gente.

hqdefault.jpg

 

 

  • Os antisociais - Aqueles convidados que não falam, estão no seu canto e que se não fosse pelas fotografias nem se sabia que tinham ido ao casamento. Podemos facilmente confundi-los com fantasmas, a única diferença é que estes dão despesa.

 

  • O desconhecido - Amigo de alguém que foi convidado mas que ninguém conhece. São praticamente os "fura-casamentos, mas esperemos que neste casamento, pelo menos um convidado os conheça.

 Preparados para encontrar estes convidados nos casamentos deste ano?!
Divirtam-se e bons casamentos!

Cudgi & Nono <3

 

 

 

 

É tempo de fazer acontecer...

b69350059e5a5659244579a9de7c59ab.jpg

É hora de agir! 
É hora de perder os medos e sair a grande velocidade atrás do que nos faz feliz. 

É hora de fazer as perguntas sem ter medo das respostas. É hora de lutar pelo que queremos. 

É hora de lutar. É hora de conquistar. É hora de conversar. É hora de deitar tudo cá para fora. 

É hora de ser sincera comigo mesma. É hora de ignorar criticas destrutivas. É hora de ignorar opiniões fúteis.

Todos os dias temos 24 horas. Todos os dias adiamos coisas. Adiamos conversas com medo dos caminhos que possam tomar. Adiamos perguntas cruciais com medo das respostas. Adiamos cafés. Adiamos jantares. Adiamos aquele beijo. Adiamos aquele passeio. Adiamos tudo e tudo...

Mas BASTA! 

É hora de fazer as perguntas que têm de ser feitas! É hora de seguir em frente sem pedras no sapato. É hora de concretizar em vez de adiar.
É hora da conversa, das decisões. É hora de fazer acontecer.

É hora de deixar medos e receios de lado, de pensar no agora.

É hora de deixar-mos as desculpas de lado. É hora de viver e ser feliz! 


 

Cudgi & Nono <3

 

Um mundo desigual, onde a igualdade deveria ser ordem

racismo.jpg

 

Encontro, em cada canto, em cada momento, em cada lugar, alguma desigualdade, por vezes, algo que já não faz sentido, outras vezes algo que até parece ridículo ainda existir, outras vezes algo que "não faz muita diferença" para grande parte das pessoas.

Vejo, no nosso país, uma desigualdade descomunal no que aos salários diz respeito, vejo as pessoas a receberem o salário mínimo (porque, felizmente, a lei não permite que menos recebam. Porque não seria admirável nem isso receberem se a tal não estivessem os patrões obrigados) e terem de trabalhar horas e horas a fio, muitas vezes sem receberem horas extra, porque a entidade patronal assim o exige e estas sujeitam-se porque "não posso ficar sem este emprego. Depois para onde vou?".

Vejo os jovens a sujeitarem-se às mais precárias condições de trabalho, porque "Preciso de começar a ganhar dinheiro, além disso, isto foi uma sorte, ninguém dá trabalho a quem não tem experiência", e caso pensem sequer em dizer que as condições não são nada adequadas ou compatíveis com o cargo, recebem uma grande resposta por parte de quem contrata "Isto é o que há. Está difícil para nós também, mas se não quer tenho muitos mais que querem. E se oferece-se menos também tinha quem quisesse" (infelizmente, têm razão).

Vejo as escolas com menos condições porque não têm crianças cujos pais têm uma grande condição financeira e como tal, parece que não precisam de ter as mesmas oportunidades que estes, parecem menos pessoas porque a conta bancária não atinge um número considerado aceitável para um serviço de qualidade.

Vejo as pessoas não terem os mesmos recursos, na saúde, na justiça, na educação, porque não têm dinheiro e "Um bom serviço, tem de ser pago". Um bom serviço deveria ser um direito de todos os cidadão, de todos os que contribuem para que o estado possa apresentar bons resultados, para que o estado consigo "governar" o nosso país.

Vejo as mulheres continuarem a ter menos direitos só porque "Isto já é assim há muito tempo, porque é que se vai estar agora a mudar?", porque os tempos mudam, porque as mulheres deveriam ter tanto poder como os homens, porque ninguém é mais ou menos do que ninguém.

Vejo a forma diferente como as pessoas de diferente género, de diferente orientação sexual são tratadas, só porque "Isto não é normal. Têm alguma doença. Precisam é de serem tratados". Quem precisa de ser tratado é o autor de tal comentário para com alguém que não se enquadra no que se diz "normal" na sociedade, a normalidade só assim é chamada porque a maioria das pessoas assim foi educada, porque não querem aceitar que não existe um "padrão normal"

Vejo a forma como as pessoas de diferente cor são mal tratadas, injuriadas, só porque "Esta gente não é daqui, veio para cá fazer o quê? Volta mais é para a tua terra". Nós também não nos concentramos apenas no nosso país, porque temos de tratar mal quem procurou melhores condições e veio ter ao nosso cantinho? Não somos o único povo no mundo, não somos a única cor, não somos os "normais", porque existe diferença, mas não deveria existir preconceito.

Vejo a desigualdade espalhada por todo o país, por todo mundo, vejo as crianças a crescerem com o estigma de que a desigualdade é uma constante e não vejo a educação destas crianças a ensinar o contrário. A desigualdade existe, mas não deveríamos ser nós a lutar para que acabasse? Afinal não deveríamos ser todos iguais? Não deveríamos procurar pela igualdade em vez de dar cada vez mais poder à desigualdade?

Mas a questão que muitas vezes colocamos, vale a pena lutar? Vale a pena ir contra algo que já tão enraizado está neste mundo?

Para mim, a resposta é apenas uma, que resume várias: Desistir é que não vale mesmo de nada! De nada serve e de nada nos adianta.

5-ESTR~1.JPG

 

 

Cudgi  <3

Pág. 1/2