Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

duasmulheresemeia

Amarras da desilusão

Nunca fui uma menina de muitos sonhos. Nunca fui pessoa de muitos desejos.

Acho que nunca quis tanto uma coisa a ponto de fazer mil e uma coisas (trinta por uma linha) para a conseguir.

Falta de ambição? Falta de personalidade? Apenas confusão? Ou vida facilitada?

Faço a minha vida e a minha jornada em pequenas metas. Pequenas metas que me ajudam a conseguir o objetivo final, na intenção de não esperar demais e não conseguir fazê-lo.

Não tenho um grande sonho ou um grande desejo que sei que farei de tudo para o conseguir, não defino um enorme sonho como objetivo final. Por quê?

Porque tenho medo da desilusão.

Fugo o mais rápido que posso e para o mais longe que consigo da desilusão.

Não crio grandes expetativas e não coloco todas as fichas em determinado objetivo porque tenho mais medo da desilusão do que demorar cinco vezes mais para conseguir realizar tal objetivo.

Defino pequenas metas que muitas vezes demoram muito tempo a ser realizadas, que muitas vezes têm mais altos e baixos que as ondas do mar e fazem mais curvas que alguém a contornar pequenos cones. Defino pequenas metas que me parecem levar ao grande objetivo, metas que me parecem realizáveis, que me parecem possíveis. Defino pequenas metas que, por vezes, não me fazem conseguir o objetivo final, mas não me deixam profundamente desiludida, porque nunca lhe coloquei muitas expetativas, forças e esperanças. Defino pequenas metas que me deixam feliz ao serem realizadas e que não me fazem tremer ou chorar por não conseguir concretiza-las.

Alguns dizem que é falta de sonhos. Outros que não sou uma pessoa determinada. Outros ainda afirmam que não sou forte o suficiente para “correr” atrás de algo.

Talvez todos estejam certos e eu seja uma pessoa sem ambição que ainda não sabe sequer o que quer da vida, ou talvez eu seja apenas uma pessoa que não quer criar expetativas e sair destruída de um mundo onde nem tudo é conquistável e pequenas conquistas para mim também têm grande valor.

Eu também sou feliz com a realização das pequenas metas, eu também me realizo quando alcanço um pequeno sonho, mesmo que parece muito realizável, eu também realizo grandes objetivos, só não dou “o corpo às balas” todas as vezes que quero fazer.

Eu sou apenas uma pessoa normal, que tem medo de se “atirar de cabeça” a um grande sonho e cair desamparada por não ter conseguido o que tanto queria.

Eu sou apenas uma refém da desilusão, que não se permite fazer mais porque esta sussurra sempre no meu ouvido que está mais próxima do que parece.

 

imagesCAHRVF5E.jpg

 

Cudgi <3

Booking.com

6 comentários

Fala-me...