Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

duasmulheresemeia

A sociedade e os Bombeiros Portugueses

923591.jpg

 

Carregam os bombeiros nas costas botijas de oxigénio, mochilas carregadas, mangueiras e agora, um peso enorme, que lhes foi atribuído, porque “não conseguiram cumprir o seu dever”.

Carregam os bombeiros palavras más, palavras que magoam, que fazem sofrer, abrir feridas que sangram até não existir mais sangue para escorrer, porque as pessoas acreditam e estão plenamente convictas que “muito mais poderia ter sido feito”.

Eu também acho que muito mais poderia ter sido feito. Todos os anos muito mais pode ser feito, muito mais pode ser pensado, muito mais pode ser investigado, muito mais pode ser cuidado. Mas eu não acho que a culpa seja de cada homem ou mulher que as chamas combate, que se coloca em frente ao inimigo. Eu não acho que o bombeiro deva carregar nas costas as palavras de desmerecimento, as palavras ruins que remetem para atos cruéis.

Eu compreendo (e na minha sincera humanidade, espero que mais pessoas também), que as falhas existem, que na mais recente tragédia que cobriu de negro todo o país, muitas coisas falharam, a prevenção (como vem acontecendo todos os anos), a rede nacional de emergência (algo que, infelizmente, também não é um caso isolado), a comunicação (profissionais e populares não tiveram uma comunicação muito clara), mas, no meu entender, os bombeiros que saíram de casa sem saber para onde iriam e se voltavam não fazem parte dessas falhas. Os soldados que combateram durante dias o inimigo estavam lá com o propósito de ajudar, de fazer o que pudessem para salvar o máximo que conseguissem, acho que se não o fizeram foi porque não puderam ou não foram informados de algo. Não acho que possamos pedir que alguém faça tudo se nem os informamos que devem fazer.

Partilho completamente o desespero da população, que viam as suas casas em riscos, o seu sustento, os seus pertences, a sua vida, que viam familiares e amigos caminharem para o incerto e, provavelmente, para a sua morte, mas não partilho das palavras ofensivas de que quem combatia pela restauração da paz e tranquilidade não fez mais porque não quês. Na minha opinião, eles não podem fazer mais do que conseguem, infelizmente, têm muita vontade de ajudar, de dar a sua vida, mas não consegue ser mais que um, não conseguem ser omnipresentes, não podem ajudar se nem do que se passa são informados.

Tenho todo o respeito e admiração pelos bombeiros, e acho, sinceramente, que eles são uns heróis, porque herói não é só quem consegue salvar tudo e todos, mas quem dá tudo o que tem e pode para o fazer. Infelizmente, muitas vezes isso não é possível.

Muito obrigado a todos os bombeiros. Os nossos mais sinceros sentimentos a todas as pessoas que perderam alguém. As melhoras para todos os que ainda se encontram feridos.

Portugal não esquecerá esta tragédia, e também não devemos esquecer que algo falhou e infelizmente não é a primeira vez. Quantas mais tragédias terão de acontecer para que as falhas deixem de acontecer? Quantas mais tragédias serão precisas para, quem de direito, fazer alguma coisa?

Portugal somos todos nós, mas não elegemos governantes apenas porque não precisamos de representantes em diversas reuniões, precisamos que realmente estejam atentos ao país. 

Cudgi <3

 

Booking.com

4 comentários

Fala-me...